Entrar

Questões de Vestibular: Cangaço

Confira aqui questões de Cangaço para Vestibular grátis com gabarito. Acesse milhares de exercícios com perguntas e respostas resolvidas e comentadas para treinar online. Se preferir, baixe o PDF!

Filtrar questões
💡 Selecione apenas 2 campos por vez e clique em filtrar.


(UFTM) - Adaptado

Sobre o cangaço, é correto afirmar que

(Fatec) Em CANGACEIROS E FANÁTICOS, Rui Facó registra:

"... os senhores das classes dominantes e seus porta-vozes recusavam-se a acreditar na realidade: milhares de párias do campo armados em defesa da própria sobrevivência, em luta, ainda que espontânea, não consciente, contra a monstruosa e secular opressão latifundiária e semifeudal, violando abertamente o mais sagrado de todos os privilégios estabelecidos desde o começo da colonização européia do Brasil - o monopólio da terra nas mãos de uma minoria a explorar a imensa maioria."

O texto acima, referente ao período da República Velha do Brasil, trata:

Texto associado.

O encontro de Rodolfo Cavalcante com Lampião

(Trecho de Cordel)

Foi Virgulino Ferreira

Pobre homem injustiçado

E por isto vingativo

Se tornou um acelerado,

Se a justiça fosse reta

Nem jornalista ou poeta,

O teria decantado.

(...)

Embora seja criança

Com meus 15 anos de idade

Pude ver em Lampião

Vítima da sociedade.

Talvez ele em outro meio

(Posso dizer sem receio)

Era útil à humanidade ! (...)

CAVALCANTE, Rodolfo Coelho. O encontro de Rodolfo Cavalcante com Lampião Virgulino. Salvador: [s.n.], 1973. In: CATELLI Jr, Roberto. História: texto e contexto. São Paulo: Scipione, 2006. p. 499.

Para o autor do Cordel Lampião é uma “vítima da sociedade”.

Dentro desta perspectiva histórica, o cangaço é um fenômeno social resultante

(FAMERP) O cangaço, a Coluna Prestes e a ação de Padre Cícero Romão Batista desenvolveram-se no interior do Brasil, ao longo dos anos 1920 ou 1930.

É correto dizer que os três movimentos

(Universidade Federal de Rondônia - UNIR 2009) O cangaço foi uma forma de banditismo social existente no Nordeste brasileiro entre o final do século XIX e o início do século XX. Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, foi o seu representante mais ilustre. Por vezes aliados dos chefes políticos locais, protegidos e autorizados a combater os inimigos, noutras vezes duramente perseguidos. Essa complexa relação explica a razão de serem lembrados como heróis em alguns lugares e como impiedosos bandidos em outros. Sobre o assunto, assinale a afirmativa correta. 

Texto associado.

No interior do Pernambuco, o culto já exige monumentos. No dia 7 de julho, quando, segundo o Registro Civil, se comemoram 100 anos do nascimento de Lampião, o município de Triunfo lançará a pedra fundamental de uma estátua de 32 metros de altura para homenageá-lo. Com o apoio do povo. Triunfo segue o exemplo da vizinha Serra Talhada, ex-Vila Bela, terra natal do cangaceiro, que, em 1991, organizou um plebiscito para saber se ele merecia uma honraria dessas. O resultado foi sim e a estátua só não existe ainda por falta de verbas.

Bem antes de morrer, Lampião já inspirava poemas, músicas e livros. Uma propaganda de remédio chegou a comparar os males que ele causava à sociedade com os distúrbios provocados pela prisão de ventre. Mas a referência ao cangaceiro como figura nociva era exceção. Em geral, ele era tratado como herói, um nobre salteador, que tomava dos ricos para dar aos pobres. Em 1931, o mais importante jornal americano, The New York Times, divulgou essa versão caridosa do criminoso.

Disponível em: super.abril.com.br/historia/cangaceiro-idolatrado. Acesso em: 21 abr. 2016

O que existe de relato sobre Lampião não menciona nenhum ato de tirar dos ricos para dar aos pobres, nenhuma dispensação de justiça. Registra batalhas, ferimentos, ataques a cidades [...], sequestros, assaltos a ricos, combates com os soldados, aventuras com mulheres, episódios de fome e de sede, mas nada que lembre Robin Hood. Pelo contrário, registra “horrores”: como Lampião assassinou um prisioneiro, embora sua mulher o tivesse resgatado, como ele massacrava trabalhadores, como torturou uma velha que o amaldiçoara (sem saber de quem se tratava), fazendo-a dançar com um pé de mandacaru até morrer [...], e incidentes semelhantes. Causar terror e ser impiedoso é um atributo mais importante para esse bandido do que ser amigo dos pobres.

HOBSBAWM, Eric. Bandidos. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1979. p. 57-58.

(FDV)

Sobre a memória do cangaceiro Lampião, os textos evidenciam que

(UNIFENAS) Um cangaceiro conquista o mundo

O Cangaceiro, de 1953, foi o primeiro filme brasileiro a conquistar as telas do mundo. O filme, considerado o melhor que saiu da Vera Cruz, a “Hollywood paulista” foi escrito e dirigido pelo cineasta Vitor Lima Barreto, inspirado na figura de Lampião. No Festival Internacional de Cannes, O Cangaceiro ganhou o prêmio de melhor filme de aventura e de melhor trilha sonora. Em Paris, o filme ficou seis anos em cartaz.

(O Livro dos Políticos, Heródoto Barbeiro e Bruna Cantele, Ediouro, Rio de Janeiro, 2008, p. 145)

O Cangaço foi um importante movimento social brasileiro ocorrido principalmente durante

Como surgiu o apelido Lampião?

Quаl еrа о nоmе dе bаtіѕmо dе Lаmріãо?

Qual a data e local de falecimento de Lampião?