Entrar

Questões de Vestibular: CESPE CEBRASPE

Confira nesta página questões de Vestibular grátis com gabarito ou comentadas: CESPE CEBRASPE. Acesse milhares de exercícios resolvidos e treine online, se preferir, baixe o PDF!

Filtrar questões
💡 Selecione apenas 2 campos por vez e clique em filtrar.


Texto associado.
O filme ganhador do Oscar 2018, A forma da água, se
passa na década de 60 do século passado, em plena Guerra Fria. No
filme, a faxineira de um laboratório secreto do governo
norte-americano conhece e se apaixona por uma criatura submarina
retirada das águas da América do Sul e mantida presa no local.
Com relação às diferenças fisiológicas entre espécies terrestres e
aquáticas, julgue os itens subsequentes.
Peixes ósseos dulcícolas são hipertônicos em relação ao meio e, em virtude da maior presença de solutos nos seus tecidos, a urina produzida por eles fica muito concentrada nos rins.
Texto associado.
TEXTO
1 Em outubro de 1917, os bolcheviques (maioria,
em russo) lideraram uma revolução, invadiram o palácio
do czar, subiram pelas escadarias e derrubaram séculos de
4 absolutismo, instalando um governo de operários e camponeses.
Tudo mentira. Os bolcheviques não eram maioria,
o czar não morava no palácio de inverno (ele abdicara em
7 março e estava preso a quilômetros de distância). Em outubro
de 1917, não havia mais monarquia, e a Rússia era uma
república mambembe. Os poucos revoltosos entraram no
10 palácio por janelas laterais, e o prédio não estava guarnecido
por tropa capaz de defendê-lo. A cena da tomada do palácio,
com uma heroica multidão subindo sua escadaria, foi uma
13 invenção do cineasta Sergei Eisenstein. Ele teve a ajuda de
cinco mil figurantes, e a filmagem, em 1928, causou mais
danos ao palácio que a sua tomada em 1917. A grandiosidade
16 de Eisenstein fez que suas cenografias engolissem a realidade.
O massacre da escadaria de Odessa, do Encouraçado
Potemkin, também não aconteceu.
Elio Gaspari. O centenário da Rússia de 1917. In:
O Globo, 11/1/2017, p. 16 (com adaptações).
Tendo o trecho precedente como referência, julgue o item.
Assinale a opção que associa corretamente os termos presentes no segundo parágrafo do texto às suas funções sintáticas.
Texto associado.
1 13 de maio
Enfim, lei. Nunca fui, nem o cargo me consentia ser
propagandista da abolição, mas confesso que senti grande
4 prazer quando soube da votação final do Senado e da sanção da
regente. Estava na rua do Ouvidor, onde a agitação era grande
e a alegria geral.
7 Um conhecido meu, homem de imprensa, achando-me
ali, ofereceu-me lugar no seu carro, que estava na rua Nova, e
ia enfileirar no cortejo organizado para rodear o paço da
10 cidade, e fazer ovação à regente. Estive quase, quase a aceitar,
tal era o meu atordoamento, mas os meus hábitos quietos, os
costumes diplomáticos, a própria índole e a idade me retiveram
13 melhor que as rédeas do cocheiro aos cavalos do carro, e
recusei. Recusei com pena. Deixei-os ir, a ele e aos outros, que
se juntaram e partiram da rua Primeiro de Março. Disseram-me
16 depois que os manifestantes erguiam-se nos carros, que iam
abertos, e faziam grandes aclamações, em frente ao paço, onde
estavam também todos os ministros. Se eu lá fosse,
19 provavelmente faria o mesmo e ainda agora não me teria
entendido... Não, não faria nada; meteria a cara entre os joelhos.
Ainda bem que acabamos com isto. Era tempo.
22 Embora queimemos todas as leis, decretos e avisos, não
poderemos acabar com os atos particulares, escrituras e
inventários, nem apagar a instituição da História, ou até da
25 Poesia. (...)
14 de maio, meia-noite
Não há alegria pública que valha uma boa alegria
28 particular. Saí agora do Flamengo, fazendo esta reflexão, e vim
escrevê-la, e mais o que lhe deu origem.
Era a primeira reunião dos Aguiar; havia alguma gente
31 e bastante animação. (...) A alegria dos donos da casa era viva,
a tal ponto que não a atribuí somente ao fato dos amigos juntos,
mas também ao grande acontecimento do dia. Assim o disse
34 por esta única palavra, que me pareceu expressiva, dita a brasileiros:
— Felicito-os.
— Já sabia? — perguntaram ambos.
37 Não entendi, não achei que responder. Que era que eu
podia saber já, para os felicitar, se não era o fato público?
Chamei o melhor dos meus sorrisos de acordo e complacência,
40 ele veio, espraiou-se, e esperei. Velho e velha disseram-me
então rapidamente, dividindo as frases, que a carta viera
dar-lhes grande prazer. (...)
43 Eis aí como, no meio do prazer geral, pode aparecer
um particular, e dominá-lo. Não me enfadei com isso; ao
contrário, achei-lhes razão, e gostei de os ver sinceros. Por fim,
46 estimei que a carta do filho postiço viesse após anos de silêncio
pagar-lhes a tristeza que cá deixou. Era devida a carta; como a
liberdade dos escravos, ainda que tardia, chegava bem.
Machado de Assis Memorial de Aires
Internet: www dominiopublico gov br
A respeito do fragmento de texto apresentado, que compõe o
romance Memorial de Aires, de Machado de Assis, e considerando
os aspectos que ele suscita, julgue os itens de 44 a 53.
A população afrodescendente que se autodeclara negra está distribuída de forma homogênea por todo o território brasileiro e sua participação na população total tem diminuído nas últimas décadas, em razão da queda das taxas de fecundidade e natalidade no Brasil.
Texto associado.
TEXTO
1 Em 2017, completam-se 500 anos desde que o alemão
Martinho Lutero (1483-1546) desencadeou uma revolução
religiosa. A jornalista Miriam Leitão, filha de um pastor
4 presbiteriano, escreveu: “Como em toda revolução, o ato inicial
da Reforma Protestante foi feito sem que o padre e professor
Martinho Lutero tivesse a noção da dimensão das
7 transformações das quais aquele momento seria o marco
inaugural. Ele queria o debate. E, por isso, afixou suas 95 teses
na porta da Igreja de Wittenberg, em um texto em que
10 convidava quem não pudesse estar presente a apresentar suas
ideias por escrito. Suas teses eram curtas, mas profundas.
Como a de número 76: ‘As indulgências papais não podem
13 anular sequer o menor dos pecados veniais’. Foi o começo do
fim de uma era.”.
O Globo, 1.o/1/2017, p. 13 (com adaptações).
Considerando o trecho de texto precedente, julgue o item.
Relativamente ao período da história brasileira em que o Brasil foi colônia portuguesa, entre os séculos XVI e XIX, assinale a opção correta.
Texto associado.
TEXTO
1 O castelo, a igreja e a cidade foram cenários de teatro.
É sintomático que a Idade Média tenha ignorado um lugar
próprio para o teatro. Os palcos e as encenações eram
4 improvisados onde houvesse um centro de vida social. Na
igreja, as cerimônias religiosas eram festas, e do drama
litúrgico é que saiu o teatro. No castelo, os banquetes, torneios,
7 espetáculos de trovadores, jograis, dançarinos e domadores de
ursos se sucediam. Nas cidades, teatros mambembes
ergueram-se nas praças. Todas as classes sociais faziam das
10 festas familiares cerimônias ruinosas: os casamentos deixavam
os camponeses empobrecidos por anos e os senhores, por
meses. Os jogos exerciam uma sedução singular sobre a
13 sociedade. Escrava da natureza, ela entregava-se ao acaso: os
dados rolavam em todas as mesas. Prisioneira de estruturas
sociais rígidas, ela transformou a própria estrutura social em
16 um jogo.
Jacques Le Goff. A civilização do ocidente medieval.
Bauru: EDUSC, 2005, p. 362 (com adaptações).
No que se refere ao trecho de texto apresentado e aos múltiplos aspectos a ele relacionados, julgue o item seguinte.
Infere-se do texto que, por ser altamente hierarquizada, a sociedade feudal excluía das atividades festivas a maior parte da população, a quem restava participar das cerimônias religiosas e, muito raramente, de entretenimento que envolvesse apostas.
Texto associado.
1 13 de maio
Enfim, lei. Nunca fui, nem o cargo me consentia ser
propagandista da abolição, mas confesso que senti grande
4 prazer quando soube da votação final do Senado e da sanção da
regente. Estava na rua do Ouvidor, onde a agitação era grande
e a alegria geral.
7 Um conhecido meu, homem de imprensa, achando-me
ali, ofereceu-me lugar no seu carro, que estava na rua Nova, e
ia enfileirar no cortejo organizado para rodear o paço da
10 cidade, e fazer ovação à regente. Estive quase, quase a aceitar,
tal era o meu atordoamento, mas os meus hábitos quietos, os
costumes diplomáticos, a própria índole e a idade me retiveram
13 melhor que as rédeas do cocheiro aos cavalos do carro, e
recusei. Recusei com pena. Deixei-os ir, a ele e aos outros, que
se juntaram e partiram da rua Primeiro de Março. Disseram-me
16 depois que os mannifestantes erguiam-se nos carros, que iam
abertos, e faziam grandes aclamações, em frente ao paço, onde
estavam também todos os ministros. Se eu lá fosse,
19 provavelmente faria o mesmo e ainda agora não me teria
entendido... Não, não faria nada; meteria a cara entre os joelhos.
Ainda bem que acabamos com isto. Era tempo.
22 Embora queimemos todas as leis, decretos e avisos, não
poderemos acabar com os atos particulares, escrituras e
inventários, nem apagar a instituição da História, ou até da
25 Poesia. (...)
14 de maio, meia-noite
Não há alegria pública que valha uma boa alegria
28 particular. Saí agora do Flamengo, fazendo esta reflexão, e vim
escrevê-la, e mais o que lhe deu origem.
Era a primeira reunião dos Aguiar; havia alguma gente
31 e bastante animação. (...) A alegria dos donos da casa era viva,
a tal ponto que não a atribuí somente ao fato dos amigos juntos,
mas também ao grande acontecimento do dia. Assim o disse
34 por esta única palavra, que me pareceu expressiva, dita a brasileiros:
— Felicito-os.
— Já sabia? — perguntaram ambos.
37 Não entendi, não achei que responder. Que era que eu
podia saber já, para os felicitar, se não era o fato público?
Chamei o melhor dos meus sorrisos de acordo e complacência,
40 ele veio, espraiou-se, e esperei. Velho e velha disseram-me
então rapidamente, dividindo as frases, que a carta viera
dar-lhes grande prazer. (...)
43 Eis aí como, no meio do prazer geral, pode aparecer
um particular, e dominá-lo. Não me enfadei com isso; ao
contrário, achei-lhes razão, e gostei de os ver sinceros. Por fim,
46 estimei que a carta do filho postiço viesse após anos de silêncio
pagar-lhes a tristeza que cá deixou. Era devida a carta; como a
liberdade dos escravos, ainda que tardia, chegava bem.
Machado de Assis Memorial de Aires
Internet: www dominiopublico gov br
A respeito do fragmento de texto apresentado, que compõe o
romance Memorial de Aires, de Machado de Assis, e considerando
os aspectos que ele suscita, julgue os itens de 44 a 53.
A forma verbal “pode” está empregada, na linha 43, no sentido de é permitido. 
Texto associado.
Rondó dos cavalinhos
1 Os cavalinhos correndo,
E nós, cavalões, comendo...
Tua beleza, Esmeralda,
4 Acabou me enlouquecendo.
Os cavalinhos correndo,
E nós, cavalões, comendo...
7 O sol tão claro lá fora
E em minhalma — anoitecendo!
Os cavalinhos correndo,
10 E nós, cavalões, comendo...
Alfonso Reyes partindo,
E tanta gente ficando...
13 Os cavalinhos correndo,
E nós, cavalões, comendo...
A Itália falando grosso,
16 A Europa se avacalhando...
Os cavalinhos correndo,
E nós, cavalões, comendo...
19 O Brasil politicando,
Nossa! A poesia morrendo...
O sol tão claro lá fora,
22 O sol tão claro, Esmeralda,
E em minhalma — anoitecendo!
Manuel Bandeira. Antologia poética. Rio de
Janeiro: Nova Fronteira, 2001, p. 104.
Acerca do poema Rondó dos cavalinhos, de Manuel Bandeira,
publicado originalmente em 1936, em outra versão, com o título Rondó do Jockey Club, julgue o item.
No verso 15, a palavra “grosso” exerce a função de adjunto adverbial e expressa o modo como falava a Itália.
Texto associado.
    Anne
1 Depuis le 12 mai 2017, la plateforme de vidéo sur
demande Netflix offre les épisodes de la nouvelle adaptation du
roman Anne... la maison aux pignons verts, l’œuvre
4 indémodable de la Canadienne Lucy Maud Montgomery.
Hors des sentiers battus
L’histoire d’Anne... la maison aux pignons verts est
7 bien connue: une orpheline débarque par erreur chez un frère
et une soeur vieillissants, qui verront leurs vies transformées
par cette rouquine à l’imagination fertile et à la langue bien pendue.
10 La minisérie Anne rend bien sûr hommage à cette
œuvre phare de la culture canadienne qui a séduit des millions
de lecteurs à travers le monde. Mais elle s’en détache aussi afin
13 d’explorer davantage les thèmes, à la fois intemporels et très
actuels, que sont l’identité, le féminisme, les préjugés et
l’intimidation. « J’ai l’impression que cette adaptation est
16 totalement différente, a confié la scénariste Moira
Walley-Beckett à une journaliste de CBC¹. On s’éloigne du
livre. Nous en gardons l’essence, son cœur et son âme, les
19 moments emblématiques que tout le monde a très hâte de voir,
mais nous racontons une nouvelle histoire. »

La nouvelle Anne

22 Née en 2001 en Irlande, Amybeth McNulty est loin
d’être totalement étrangère aux racines de son personnage,
puisque sa mère est originaire du Canada. Outre son
25 extraordinaire ressemblance physique avec l’orpheline décrite
par Lucy Maud Montgomery, Amybeth dit aussi partager
plusieurs traits de caractère avec celle-ci. « Elle regarde le
28 monde qui l’entoure avec beaucoup d’affection, et je crois que
je suis comme ça aussi », a confié l’adolescente, qui, tout
comme Anne, est également une amoureuse des livres.
31 Une auteure chevronnée

Aux commandes de la première saison de huit
épisodes, on retrouve la scénariste Moira Walley-Beckett.
34 Cette dernière a travaillé sur plusieurs productions télé, dont la
série américaine tant acclamée Breaking Bad: Le chimiste, et
est également productrice.
¹ CBC Canadian Broadcasting Corporation (en français SRC Société Radio-Canada)
Internet: www tvanouvelles ca (adapté)
À partir du texte présenté, jugez les items de 1 à 10.
C’est en raison de l’origine canadienne de sa mère qu’Amybeth McNulty voit le monde autour d’elle de la même façon que son personnage dans la minisérie.
Texto associado.
TEXTO
Há 80 anos, com a instauração do Estado Novo, a educação tornou-se um instrumento importante para a promoção do progresso econômico e do desenvolvimento humano. O maestro Heitor Villa-Lobos acreditava que a melhor maneira de formar a disciplina das gerações futuras era o canto coletivo. Para ele, o canto orfeônico apresentava três finalidades: disciplina, civismo e educação artística. Villa-Lobos posiciona-se politicamente ao lado de Vargas. O projeto do Estado que surgiu com a Revolução de 1930 tinha viés autoritário. Porém, intelectuais como Villa-Lobos, Carlos Drummond de Andrade e outros percebiam no apoio estatal a possibilidade de concretização de projetos. Mirelle Ferreira Borges. O Brasil cantando a uma só voz: Heitor Villa-Lobos, o músico educador. In: Jorge Ferreira (org.). As repúblicas no Brasil: política, sociedade e cultura. Niterói: Editora da UFF, 2010, p. 98-108 (com adaptações).
Com relação aos aspectos históricos e artísticos pertinentes ao fragmento de texto anteriormente apresentado, julgue o item que se segue.
No período ditatorial da Era Vargas, a educação, conduzida por Gustavo Capanema, um dos mais longevos ministros do setor na história brasileira, sofreu profundas reformas e integrou-se ao espírito de nacionalismo e de civismo próprios dos regimes políticos que se multiplicaram pelo mundo entre as duas guerras mundiais.
Texto associado.
Outro composto encontrado no óleo de citronela, embora
em menor proporção, é o isopulegol. Trata-se de um álcool cíclico
formado a partir do ataque nucleofílico dos elétrons pi da ligação
dupla do citronelal ao carbono de sua carbonila, reação essa
catalisada por ácidos de Lewis.
Com relação ao isopulegol e a sua formação, julgue os itens 76 e 77
e assinale a opção correta nos itens 78 e 79, que são do tipo C. 
Assinale a opção que apresenta o composto que poderia atuar como ácido de Lewis na catálise da conversão do citronelal em isopulegol.