Entrar

Simulado: Governo Juscelino Kubitschek: 10 exercícios com gabarito - ENEM

Marque todas as questões do simulado desta página "Governo Juscelino Kubitschek: 10 exercícios com gabarito - ENEM" e clique no botão "Corrigir". Se preferir, baixe o PDF.


4 resolveram
33% acertos
Difícil
0 ótimo
1 bom
3 regular
0 péssimo

(Impacto) O plano de Governo de Juscelino Kubitschek estava definido no seu Programa de Metas, voltado para o desenvolvimento de seis setores “estratégicos” na esfera do desenvolvimento econômico nacional: energia, alimentação, transportes, indústrias de base, educação e construção da nova capital federal — Brasília.” No plano de suas realizações, qual o único elemento que expressa medidas para desenvolver as indústrias de base?


(Modelo Enem) Em sua biografia de Juscelino Kubitschek, presidente da República entre 1956 e 1961, Claudio Bojunga relata o seguinte, a respeito da construção de Brasília: O Congresso decidira, com a emenda do deputado Emival Caiado, de agosto de 1958, que o prazo para a conclusão das obras seria de três anos e dez meses. Brasília deveria ser inaugurada a 21 de abril de 1960. Numa de suas viagens àquele descampado, acompa­nhado de um grupo de jornalistas, o presidente foi asse­diado pelas dúvidas de uma correspondente francesa.
— Mas o senhor vai construir a capital num deserto… isso é absurrrdo!
Juscelino nem piscou:
— Não, minha filha, absurdo é o deserto.

BOJUNGA, Claudio. JK – O artista do impossível. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001, p. 397.

Entre as justificativas do governo JK para a construção de Brasília numa área pouco populosa, como o planalto Central, incluíam-se:


(UEA - SIS) Em 1960, Brasília foi inaugurada como a nova capital e as principais rodovias estavam prontas. Das realizações industriais do período, a mais impressionante, sem dúvida, foi a implantação da indústria automobilística. O governo ofereceu às empresas uma série de incentivos, desde que implantassem fábricas de veículos capazes de produzir no Brasil, até 1961, 98 a 99% do peso dos veículos.

(Paul Singer. “Interpretação do Brasil: uma experiência histórica de desenvolvimento.” In: O Brasil republicano, vol. 4, 1986.)

O governo do presidente Juscelino Kubitschek (1956- 1961) desenvolveu projetos que, oficialmente, visavam


(PUC-PR) Leia o texto a seguir.

Apesar da desconfiança de que não seria terminada, a nova capital federal foi inaugurada em 1960 por um sorridente Juscelino Kubitschek. Entregar Brasília foi uma questão de honra diante das dificuldades enfrentadas para erguer uma cidade do zero em três anos.

A construção de uma nova capital era ideia antiga, mas foi levada a cabo como parte do chamado Plano de Metas, que tinha como objetivo principal


(UEL-PR). Durante o governo do presidente Juscelino Kubitschek, a política econômica predominante foi o nacional-desenvolvimentismo, que teve como característica:


(UNESP) A industrialização contemporânea requer investimentos vultosos. No Brasil, esses investimentos não podiam ser feitos pelo setor privado, devido à escassez de capital que caracteriza as nações em desenvolvimento. Além disso, o crescimento econômico do Brasil, um recém-chegado ao processo de modernização, processou-se em condições socioeconômicas diferentes. Um efeito internacional de demonstração, na forma de imitação de padrões devida, entre países ricos e pobres, e entre classes ricas e pobres dentro das nações, resultou em pressões significativas sobre as taxas de crescimento para diminuir a diferença entre nações desenvolvidas e em desenvolvimento. Em vista das aspirações de melhores padrões de vida, o governo desempenhou um papel importante no crescimento econômico recente do Brasil.

(Carlos Manuel Peláez e Wilson Suzigan. História monetária do Brasil, 1981. Adaptado.)

Os impasses do desenvolvimento industrial brasileiro, apontados pelo texto, foram enfrentados no governo Juscelino Kubitschek (1956-1961) com o Plano de Metas, cujo objetivo era promover a industrialização por meio


(UDESC) Analise as proposições sobre o contexto histórico brasileiro a que se relaciona a expressão “nacional-desenvolvimentismo”.

I. A expressão está relacionada a Juscelino Kubitschek (1956-1961) e à política de modernização do país levada a cabo em seu governo.

II. A expressão está relacionada ao governo Collor (1990-1992) e ao plano econômico que se baseava na contenção da inflação, na redução do Estado e na livre concorrência do mercado.

III. A expressão está relacionada ao governo de Castelo Branco (1964-1966) e a sua execução, considerada moderna e avançada, era baseada na contenção de salários, no corte dos gastos públicos e no aumento de impostos.

IV. A expressão traduz um conjunto de ideias em que o Estado nacional independente formula políticas industriais modernizadoras com o objetivo de alcançar o desenvolvimento da nação. O Plano de Metas é a concretização dessa política.

V. A expressão traduz um conjunto de ideias em que o Estado nacional adota a política do “Estado mínimo”, o que significa dizer que é o próprio mercado que regula o crescimento econômico, sem a intervenção do Estado.

Assinale a alternativa correta.


(PUC-RJ). “O petróleo é nosso” foi o lema da campanha que empolgou grupos políticos, associações profissionais e organizações diversas no Brasil, entre 1947 e 1953.

Sobre esse tema, o episódio e suas motivações, são corretas as afirmativas, à exceção de uma. Assinale a opção que apresenta essa exceção.


(ESPM) O período que correspondeu à presidência de Juscelino Kubitschek (1956-1961) pode ser definido por uma palavra: desenvolvimentismo. O Plano de Metas, primeiro projeto de planejamento para o desenvolvimento econômico desencadeou crescimento econômico sem precedentes.

A reação às políticas inovadoras e até arrojadas de Juscelino partiu de vários setores da sociedade. Já em 1957, Juscelino enfrentara lockout de cafeicultores de São Paulo, Minas e Paraná que, pelas estradas, mobilizaram agricultores com suas máquinas (a “Marcha da Produção”), enquanto o Pacto de Unidade Intersindical (PUI) articula em São Paulo, 450 mil operários na greve contra a carestia. No fim do governo, as classes médias, embora embora tenham experimentado melhora em suas condições de vida, estavam insatisfeitas com a política desenvolvimentista.

(Adriana Lopez e Carlos Guilherme Mota. História do Brasil: uma interpretação)

A partir da leitura do texto e de seu conhecimento a respeito do governo do presidente JK, é correto assinalar que a reação às políticas desenvolvimentistas, que afetavam as classes médias, derivou:


(UFR-RJ). Leia o Texto.

Manifestações como a focalizada anteriormente des­mentem, ao menos parcialmente, a caracterização do período de governo de Juscelino Kubitschek como o dos “anos dourados”, em especial os seus dois últimos anos.

Esses protestos podem ser explicados como:


Resolver simuladosEscolaridadeQuantidade
Era VargasEnsino Médio1
PolíticaEnsino Médio1
Inconfidência MineiraEnsino Médio1
Segundo ReinadoEnsino Médio1
CangaçoEnsino Médio1
Família Real PortuguesaEnsino Médio1
QuilombosEnsino Médio1

Deixe seu comentário (0)

Participe, faça um comentário.